domingo, 9 de fevereiro de 2014

Das dores sem analgesia

A revivência do luto
frente à presença
de um amor natimorto

A revivência do corte
Da abrupta separação

Ah! Os grandes Outros
Ai! Os pequenos também

Das grandes dores
inamenizáveis
Fica a lembrança das grandes alegrias
imensuráveis

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Dos sonhos

Meus sonhos parecem démodé
ah! tanta realidade
enfraquecem minh'alma

Se o real parece pesadelo
porque o sonho não parece real

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Dá Saudade

Sentimento é pouco
Saudade é força magnética
faz girar o mundo
e cria reencontros
usando o nome do acaso

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Memória Boa

Acho que minha memória é fraca
porque não gosto de sentir saudades

O rastro do cheiro dissolve-se
As linhas da imagem apagam-se
As gargalhadas silenciam-se

Falham as rememorações
que é para abrir espaço
para novas comemorações

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Loronha

Calma!
Ainda não voltei pro corpo,
perdi-me entre o azul do céu
e o azul do mar.

Casa comigo Vento!
E me faz andorinha.

Doce esmeralda,
branda e gentil
deixe-me mergulhar
na cadência de suas ondas

Meu silêncio é a canção
que canta o vento
e toca o mar.


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Cronos

Do tempo que não temos
só conheço o enquanto
o antes e o depois
não passam de mero encanto

Coabitar

Não confio em flores sem insetos
ou perderam seu néctar
ou perderam sua sutil natureza
ou perderam a vida
como plásticos objetos
de estéril beleza